Pedagogia Sensível ao Género

A pedagogia sensível ao género – refere-se ao ensino e aprendizagem que presta atenção às necessidades específicas dos rapazes e raparigas, efectuando uma abordagem inclusiva do ponto de vista do género no processo de planificação da aula, ensino e interação com alunos e alunas na sala de aulas, metodologias, materiais didáticos, gestão na sala de aula e avaliação do desempenho.

  • A pedagogia sensível ao género visa tornar o processo de ensino e aprendizagem sensível aos assuntos de género, começando pela própria escola ;
  • Uma escola sensível ao género é aquela que responde às necessidades específicas de ambos rapazes e raparigas nos seguintes aspectos: Actividades de ensino, Infra-estruturas, Regulamento, Gestão, Diversão e Relacionamentos ;
  • Uma escola sensível ao género deve sensibilizar pais, líderes comunitários e membros do conselho da escola, professores, raparigas e rapazes e toda comunidade escolar, em matérias de género e sobre a necessidade de ajudar na educação inclusiva das raparigas em particular;
  • Uma escola sensível ao género deve ter professores formados em habilidades de Pedagogia sensível ao género para que o processo de ensino e aprendizagem seja inclusivo e responda às necessidades específicas de raparigas e rapazes ;

Uma escola sensível ao género deve ter casas de banho adequadas para raparigas e rapazes, e um regulamento escolar que inclua aspectos que condenam violência contra o género.

  • Revisão do material de ensino e aprendizagem:
    – Identificação e correção de estereótipos de género em informações ou imagens nos materiais existentes;
    – Análise cuidadosa e correção da linguagem usada;
    – Sempre que houver ilustrações preconceituosas sobre o género ou exemplos ou declarações que apreçam no livro, o professor pode adicionar interpretações exemplos para capturar a capacidade de resposta sobre os assuntos de género;
    – Os professores também podem elaborar também os seus próprios materiais didácticos que sejam sensíveis ao género;

 

  • Seleção de metodologias de ensino que garantam igualdade de participação de raparigas e rapazes, como: trabalho em grupo, discussões em grupo, dramatizações, debates, estudos de casos, explorações e aulas práticas que podem ser muito eficazes no sentido de incentivar a participação dos/as alunos/as e desta forma darão às raparigas a oportunidade a participar de forma mais activa.
  • Quando fizer uma experiência científica prática, uma actividade pratica, um drama etc, assegure que as raparigas e rapazes tenham oportunidades de participarem.
  • Deverá também haver igualdade de participação em actividades como apresentações como ao atribuir projectos garanta que tanto as raparigas como os rapazes tenham papéis e posições de liderança.
  • Levem em consideração como os materiais serão distribuídos de forma igual tanto para raparigas assim como para rapazes principalmente em casos de escassez.
  • Os professores dão atenção igual e similar para os meninos e as meninas. Por exemplo, elogios e ajuda extra.
  • Misturar raparigas e rapazes (não permitir a segregação, em que uma ala sentam raparigas e outra sentam rapazes), pode usar o método de arrumação pelo abecedário, sorteio etc.
  • Arrumação da sala de aula que estimule a participação de raparigas e rapazes;
  • Arrumação das carteiras que estimule as raparigas a se expressarem e a vencer os seus medos;
  • As cadeiras dos laboratórios que tenham um tamanho, forma adequadas que permitam uma participação efectiva tanto das raparigas como dos rapazes;
  • Acessórios e recursos visuais nas paredes que veiculem mensagens sobre o género;
  • Prateleiras adequadas nas bibliotecas;
  • Peso e forma adequada de cadeiras e carteiras, entre outros aspectos inclusivos e que respeitem as diferenças
  • A monitoria e avaliação referem-se a um acompanhamento e avaliação sistemática do progresso com vista a tornar a pedagogia mais sensível ao género.
  • Um sistema efectivo de monitoria cobre todos os aspectos do processo de ensino e aprendizagem, isto inclui os aspectos de género no plano de aulas, lecionação, arrumação de sala de aula, interação alunos-professores, aluna-aluno, materiais didáticos e uso de linguagem.
  • A avaliação compreende a revisão periódica deste progresso medidos em função de indicadores específicos de desempenho.
Baixa aqui Guiões sobre Pedagogia Sensível ao Género
GUIÃO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EM PEDAGOGIA SENSÍVEL AO GÉNERO – 2016 :