Módulo 3 | Métodos de Ensino-Aprendizagem da Oralidade

Aula 5 | Dramatização

Dramatização


Por que usar a dramatização para o desenvolvimento da oralidade em língua materna?

A dramatização é uma actividade muito rica para o desenvolvimento da oralidade. O programa de língua materna apresenta várias sugestões de conteúdos de oralidade que podem ser explorados através da dramatização. As crianças gostam deste tipo de actividade que envolve representação de personagens, imitação de pessoas mais velhas, representação de animais, e representação de atitudes e sentimentos. Nas aulas de oralidade em língua primeira, esta actividade torna-se mais interessante ainda, pois os alunos dominam a língua e podem desenvolver maior criatividade nas suas representações. É, também, um óptimo exercício para o desenvolvimento da língua primeira por permitir explorar situações da vida real. Nestes termos, há uma necessidade de se recorrer à dramatização para animar alguns conteúdos e desenvolver a oralidade.


Actividade 6
Técnica didáctica Interacção em grupos de línguas - Dramatização.
Conteúdo Planificação de actividades do oral.
Habilidades a desenvolver no(a) formando(a):
  • Elabora actividades para o ensino e desenvolvimento da habilidade oral;
  • Apresenta peças teatrais em línguas moçambicanas sobre vários temas transversais emergentes na escola e na sociedade.

Geralmente, no desenvolvimento da dramatização, destacam-se os seguintes passos: Apresentação da/o história/conto; interpretação global da/o história/conto; organização dos alunos/atribuição de personagens; e representação.


a) Apresentação da/o história/conto

Esta fase tem como objectivo levar o aluno a apreender o conteúdo global de uma história, contada pelo professor ou por um aluno da turma ou ainda por uma pessoa idosa da comunidade, em sua L1.

Ao concretizar este objectivo, o aluno desenvolve a habilidade de saber ouvir, que será avaliada a partir da interpretação global da história e pela representação através da dramatização. Se a história for contada pelo aluno, compete ao professor prestar atenção para melhor orientar as perguntas de interpretação.


b) Interpretação global da/o história/conto

Depois de ouvida a história, o professor dirige perguntas específicas à turma para aferir a compreensão. Essas perguntas podem estar relacionadas, por exemplo, com a identificação e caracterização das personagens, com as acções que ocorrem, com o local e o momento em que as acções se desenvolvem, com as causas dos acontecimentos, etc.

Para tal, o professor pode fazer perguntas tais como: Gostaram da história? Quais são as personagens da história? Quais são as suas características? Quais são as principais personagens? Porquê? Onde ocorre esta história? Quantas personagens são mencionadas na história? Existem meninas como personagens? Em que momento aconteceu a acção? Que lição nos é transmitida pela história?


c) Organização dos alunos/atribuição de personagens

Esta é a etapa em que se organiza o cenário para a representação da história. O professor organiza os alunos em grupos, atribuindo a cada um a personagem da história que irá desempenhar (o professor pode sugerir que cada membro do grupo escolha a personagem que quiser representar). Para que a dramatização seja mais interessante, o professor deve incentivar os seus alunos para serem mais criativos, podendo usar, para tal, roupa, pinturas e até máscaras que se relacionem com as personagens que vão representar.


d) Representação

O professor orienta os alunos que estão a representar para falarem alto, em sua L1, com boa articulação e pronúncia das palavras, e não virar as costas aos colegas que estão a assistir. Orienta os alunos que assistem para estarem em silêncio e a baterem palmas só no fim da apresentação.

Atenção! No contexto de formação nos Institutos de Formação de Professores, para que o(a) formando(a) entenda realmente como usar as técnicas aqui propostas, o(a) formador(a) precisa trabalhar cada técnica com tempo e deixar que os formandos pratiquem cada uma delas. Recomenda-se que não sejam usados seminários ou aulas expositivas na prática das técnicas aqui propostas. O(a) formador(a) deve reservar tempo para que os(as) formandos(as) possam efectivamente treinar cada estratégia/técnica sugerida, ainda que cada grupo fique apenas com uma delas e aprofunde o seu funcionamento.

Na actividade que se segue, você irá elaborar uma história para a dramatização. Pode inspirar-se no texto para a dramatização em classes inicias em Cicopi, que vai imediatamente a seguir à Actividade 7.


Actividade 7
Técnica didáctica Interacção em grupos de línguas - Dramatização.
Conteúdo Planificação de aulas de oralidade.
Habilidades a desenvolver no(a) formando(a):
  • Capitaliza a dramatização como técnica didáctica para o desenvolvimento da oralidade em línguas moçambicanas;
  • Explora a interdisciplinaridade no ensino de línguas, abordando temas transversais de utilidade social e local.

Exemplo de um texto para dramatização em Cicopi para classes iniciais:

N’charihisi: - Nyapwejani aciya govani, amanana ni Tanyani valosana vaci:

Tanyani: - Dicite Nyapwejani!

Nyapwejani: - Dicite Tanyani, wocani?

Tanyani: - Nawuka, awe ko?

Nyapwejani: - Nani nawuka. Nibongile! Mame ngene angalumwa ngu ngume!

Tanyani: - Eyiii, ahimueleketi cibhejela!

N’charihisi: -Tanyani ni Nyapwejani vatshumela vayateka mame vamuheleketa cibhejela.

Nyampwejani: - Mama, hitsimbile cibhejela.

Mame: - Ina mwanangu, nipfa kupanda ngutu, nitanda ni kutsimbila.

Tanyani: - Hinakuchebetisa!

N’charihisi: - Tanyani ni Nyapwejani vachebetisa mame kuya cibhejela.

Mame: - Dicite, dhokodhela.

Dhokodhela: - Dicite mame. I cani ucipfaku, mama?

Mame: - Nidolumwa ngu ngume.

Dhokodhela: - Unasela mirende yiya, tinapinda. Ufanela kutiwonela usitshumeli ulumwa!

Elaborado por: Majuisse, A.; Tembe, F. e Gungulo, L

Narrador: - A Nyapwejani ia cartar água, encontrou-se com o Tanyani e saudaram-se:

Tanyani: - Bom dia, Nyapwejani!

Nyapwejani: - Bom dia Tanyani, como estás?

Tanyani: - Estou bem, e tu?

Nyapwejani: - Eu também estou bem, obrigada. A minha mãe é que foi picada por escorpião.

Tanyani: - Ei, temos que a levar ao hospital!

Narrador: - O Tanyani e a Nyapwejani levaram a mamã ao hospital.

Nyampwejani: - Mamã, vamos ao hospital.

Mamã: - Sim, minha filha! Sinto muita dor e não aguento andar.

Tanyani: - Vamos ajudar-te!

Narrador: O Tanyani e a Nyapwejani ajudaram a mamã a caminhar até ao hospital.

Mamã: - Bom dia, senhor médico.

Médico: - Bom dia, minha senhora. O que sente a senhora?

Mamã: - Fui picada por um escorpião.

Médico: - Toma esta medicação, que vai passar. Mas deve cuidar-se para não ser picada novamente!


Depois de ver e praticar algumas das estratégias para o ensino da oralidade, leia os apontamentos a seguir sobre como avaliar a oralidade nas línguas moçambicanas e realize a Actividade 8.


Assista à Videoaula

Nota: O conteúdo deste vídeo contém o mesmo conteúdo do texto do Manual