Módulo 2 | Textos Literários

Aula 2.3Texto Poético

Género textual: texto poético

Ficha Informativa

Escute o ficheiro áudio como introdução ao texto poético

h ttps://radioafrolis.com/2014/10/13/poemas-da-ciencia-de- voar- e - da- engenharia-de-ser-ave/

Vamos estudar o texto poético em verso ou poesia. Existem também textos poéticos em prosa. A intenção do autor de um texto poético - seja em verso seja em prosa - é exprimir os seus sentimentos e despertar emoções no seu leitor e para isso usa uma linguagem expressiva, harmoniosa, figurativa.

Texto poético

A poesia apresenta-se em versos e estes agrupam-se, muitas vezes, em estrofes. Segundo o número de versos, as estrofes têm um nome específico como se indica na tabela que segue:

Nome da estrofe

Número de versos

Monóstico

Um

Dístico ou parelha

Dois

Terceto

Três

Quadra

Quatro

Quintilha

Cinco

Sextilha

Seis

Sétima

Sete

Oitava

Oito

Nona

Nove

Décima

Dez

Figuras de estilo

Uma das características do texto literário – e do poético, por consequência, – é o recurso a figuras de estilo. Há muitas figuras de estilo. Dentre elas destacamos as seguintes:

Anáfora – repetição de uma palavra ou expressão para destacar o que se repete.


Caminho do mato.

Caminho das flores.

Caminho do amor.

Agostinho Neto

Comparação – confronto entre dois termos para destacar as suas semelhanças, recorrendo a expressões de comparação (como, assim, como se, ou formas de verbos parecer, lembrar, assemelhar-se, aparentar…)

Metáfora – substituição de um termo por outro devido às suas semelhanças. Equivale a uma comparação, mas sem nenhuma expressão que exprima tal comparação.

Há muitas expressões comuns baseadas em metáforas: cabeça do prego, pés da mesa, dentes do pente…

Personificação – atribuição de qualidades humanas a outros seres.

Rima

A poesia também se caracteriza pela rima. Rima é correspondência de sons entre as silabas finais dos versos. tema - dilema; canto – espanto; delicadeza- moleza - estranheza.

Nem toda a poesia tem rima. Diz-se então que estamos perante versos brancos, soltos ou livres: nenhum verso rima com outro.

Quando os versos rimam estabelece-se um esquema de acordo com a posição das palavras que rimam. Os esquemas de rimas têm nomes, como se vê no quadro que segue:

Tipo de rima e esquema rimático

Estrofes exemplificativas

Versos soltos

Na noite morna, escura de breus,
enquanto na vasta sanzala do céu
de volta de estrelas, quais fogaréus,
os anjos escutam parábolas de santos
na noite de breu
ao quente da voz
de suas avós
meninos se encantam
de contos bantus
[…]
Viriato da Cruz, 1961

Versos soltos

A palavra
A palavra quer deitar-se sozinha, reflexa
contemplar devagar
o sol morre ao silêncio
Não há pressa, não há medo
a palavra quer morrer
quantas vezes for preciso
Tânia Tomé

Rima emparelhada

A B B A

A cena é muda e breve:
Num lameiro
Um cordeiro
A pastar ao de leve
Embevecida.
A mãe ovelha deixa de remoer
E a vida
Pára também, a ver.
Miguel Torga, Diário III

Rima cruzada

A B A B

A cena é muda e breve:
Num lameiro
Um cordeiro
A pastar ao de leve
Embevecida.
A mãe ovelha deixa de remoer
E a vida
Pára também, a ver.
Miguel Torga, Diário II

Rima interpolada

A B B A

A cena é muda e breve:
Num lameiro
Um cordeiro
A pastar ao de leve
Embevecida.
A mãe ovelha deixa de remoer
E a vida
Pára também, a ver.
Miguel Torga, Diário II

Encadeada

E há nevoentos desencantos
Dos encantos dos pensamentos
Nos santos lentos dos recantos
Dos bentos cantos dos conventos
Prantos de intentos, lentos, tantos
Que encantam os atentos ventos.
Fernando Pessoa, Poesias

Encadeada

Caminho do mato
Caminho da gente
Gente cansada
Óóó-oh!
Caminho do mato
Caminho do soba
Soba grande
Óóó-oh!
Caminho do mato
Caminho de Lemba
Lemba formosa
Óóó-oh!
[…]
Caminho do mato
Caminho das flores
Flores do amor.
Agostinho Neto

Tendo estudado os aspectos principais sobre a poesia, vamos estudar um texto poético em verso, procurando aplicar ao máximo o que aprendemos.

Comecemos por ler o poema de José Craveirinha: Poema do futuro cidadão. Procure informação sobre a vida e obra deste poeta e escreva um texto biográfico com toda essa informação.

Nota: Tenha cuidado, não caia na tentação de copiar o que encontrar (fontes). Leia tudo o que juntar, destaque as ideias principais, faça um esquema do que quer dizer e retire a informação necessária dos vários textos fazendo sínteses, resumos, paráfrases do que ler. Assim evita fraude, mostrando respeito pelos que escreveram os textos que vai ler para elaborar o seu trabalho.

Texto

Poema do futuro cidadão

Vim de qualquer parte

duma Nação que ainda não existe

Vim e estou aqui!

Não nasci apenas eu

nem tu nem nenhum outro…

mas irmão.

Tenho amor para dar às mãos cheias.

Amor do que sou

e nada mais.

Tenho coração

e gritos que não são meus somente

venho de um país que ainda não existe.

Ah! Tenho amor a rodos para dar

Do que sou.

Eu!

Homem qualquer

cidadão de uma Nação que ainda não existe.

José Craveirinha

Compreesão do texto

  1. Explique o título em função do próprio poema.
  2. É possível ser cidadão de um país que ainda não existe? Como?
  3. O que significa “ter amor para dar às mãos cheias”?
  4. Classifique cada uma das estrofes do texto quanto ao número de versos.
  5. Como classificaria a rima das diferentes estrofes do poema?

Vamos brincar às rimas? Partindo das palavras que lhe são dadas, estabeleça rima com outras retirando-as do poema de Craveirinha. Veja o modelo:

gramática rima com matemática e com informática

lua rima com rua

apenas rima com serenas

  1. Malmequer rima com ___________________________
  2. Baluarte rima com ____________________________
  3. rima com encenação
  4. Desci rima com ______________________________
  5. _ rima com limão
  6. Temor rima com _____________ ____________________
  7. Meias rima com ____________________________
  8. _ rima com perdão
  9. Resiste rima com ____________________________
  10. Mitos e ritos rimam com ____________________
  11. ____ rima com comem
  12. Modos rima com _________________________

Ortografia e Translineação

Ficha Informativa

Na Infopédia, translineação é definida como passagem de uma parte que não coube na linha de cima para o início da linha de baixo. Isto acontece em final de linha. Em geral, para se fazer a translineação há que seguir as regras da divisão silábica e coloca-se um hífen no fim da linha.

Observe os exemplos que seguem.

1º apresenta-se a palavra

2º divide-se em sílabas e logo apresentam-se a(s) possibilidade(s) de translineação, representando o ponto de separação da palavra por //.

Qual-quer: qual-quer, então qual//quer

Parte: par-te, então: par//te

Somente: so-men-te, então: so//mente ou somen//te

Venho: ve-nho, então ve//nho

Cidadão: ci-da-dão, então: ci// dadão ou cida//dão

Silêncio: si-lên-ci-o, então: si//lêncio ou silên//cio

Nota importante: Não se deve deixar uma vogal sozinha no fim ou no início de uma linha, mesmo que a vogal pertença a uma outra sílaba. Isto dá para compreender que a mudança de linha segue a divisão silábica, mas há casos em que temos de agir de outra maneira:

eliminar: e-li-mi-nar mas eli//minar ou elimi//nar

água: á-gua mas água (não se divide esta palavra)

vitória: vi-tó-ri-a mas vi//tó-ria ou vitó//ria

ovelha: o-ve-lha mas ove//lha

Agora divida as sílabas das palavras que se seguem e faça a representação da sua translineação como se fez antes: assim, dividimos, qualquer, cidadão, ainda, aqui, apenas, amor, existe, avós.

Algumas outras palavras dissilábicas que não devem ser divididas para efeitos de mudança de linha: água, ali, aí, baú, rua, rio, amo, ata, Ana, uma, ela, tio, fio.

Saiba Mais

Aprofunde seus conhecimentos

Leitura expressiva

Vários formandos vão ler o texto de forma expressiva como treino para o sarau e forma de se deliciarem com a poesia. Deve ficar claro que cada um terá a sua forma de ler pois depende muito da forma como interpreta e sente o poema, mas deve saber articular e pronunciar bem as palavras para imprimir uma interpretação pessoal do poema.

Saiba Mais

Aprofunde seus conhecimentos

Produção Escrita

Escreva um poema exaltando a paz e a harmonia. Use figuras de estilo, pode fazer com versos soltos ou obedecendo a um esquema de rima.

Saiba Mais

Aprofunde seus conhecimentos

Resumo

Texto poético,

Texto poético é um texto rico em figuras de estilo, das quais se destacam a anáfora, a metáfora, a personificação, a comparação.

O texto poético apresenta-se em versos e estes agrupam-se, muitas vezes, em estrofes.

De acordo com o número de versos, as estrofes classificam-se em: monóstico, dístico, terceto, quadra, quintilha, sextilha, sétima, oitava, nona e décima.

A correspondência de sons entre as sílabas finais dos versos denomina-se rima. Conforme a rima que apresentam, os versos classificam-se em soltos (quando não rimam uns com os outros); emparelhados (ABBA); cruzados (ABAB); interpolados (ABBA) e encadeados, (quando o 1° verso rima com o 3°; o 2º com o 4º e com o 6º; o 5º com o 7º e 9º), ou quando a palavra final do verso rima com a do meio do verso seguinte.

A separação de uma palavra no fim de linha baseia-se na divisão silábica, mas nunca se deve deixar uma vogal sozinha no fim de uma linha ou no início de nova linha.

Assista à Videoaula

Exercícios

Vamos participar num sarau!

Trata-se de declamar. Se alguns o quiserem, podem decorar os poemas, mas também podem apenas ler de forma expressiva.

1. Organize com a sua turma um sarau. Cada um deve escolher dois poemas.

Os poemas devem ser em torno de um tema escolhido pelo grupo. Esta é uma belíssima ocasião para ler poemas diversos e escolher aqueles que se enquadram no tema e lhe despertam emoções. Numa primeira fase, cada um deve explicar ao grupo por que escolheu tais poemas. Depois, em grupo, vão decidir quantos poemas devem compor o sarau. Organizem-se de modo que o sarau dure uns 30 a 45 minutos.

2. O grupo deve sequenciar os poemas e pode decidir quem vai declamar que poema. Cada um estuda bem o seu poema para explorar ao máximo a expressividade do que escolheu. Será difícil declamar bem sem ter compreendido o texto. Vejam o significado das palavras, vejam se há rima, se há onomatopeias, tudo o que pode servir para tornar o poema mais expressivo.

3. Se o grupo o desejar, os poemas podem ser entremeados com música que também pode seguir o tema ou ser música instrumental. A música pode ser inteira ou cortada.

4. Ao declamar, o grupo deve prestar atenção à articulação das palavras e à dicção; a voz deve ser bem ouvida, pelo que no lugar de gritar, cada um deve projectar a sua voz para que todos oiçam bem e se emocionem com cada poema.

Saiba Mais

Aprofunde seus conhecimentos

Exercício

Considere o Hino Nacional.

Veja quantas estrofes tem, quantos versos tem cada estrofe e verifique a rima. Analise a letra e identifique figuras de estilo.

De que trecho do hino gosta mais? Porquê? Copie tal passagem e escreva, numa folha, a razão por que gosta mais desse trecho para partilhar com os seus colegas na sala de aula.