Módulo 1 | Panorama Sociolinguístico de Moçambique

Aula 2 | Línguas Moçambicanas, Diversidade e Multiculturalidade

Línguas moçambicanas, diversidade e multiculturalidade


Texto

Quem sou eu? Seguramente que esta pergunta está sempre presente em todos nós! Primeiro leia o texto que se segue:

Quem sou eu?

Chamo-me Tanayi Miquidade, sou de Nampula, tenho 11 anos e estudo na 6ª classe. Vivo com os meus pais, Carlos Miquidade e Amina Miquidade, e com os meus irmãos, Omar, Antonieta, Zarina e Murilo.

Eu sou a terceira filha da casa. Os manos Omar e Antonieta são os mais velhos. A Zarina e o Murilo nasceram depois de mim. O meu irmão mais novo, o Murilo, tem 6 anos e é surdo. Ele está na 1ª classe, tem uma professora muito boa, chamada Mariana, que também ensina na língua de sinais. O Murilo aprende a língua de sinais todos os dias com o Sr. professor Albino, que ensina muito bem. O Murilo gosta muito dos professores dele. Os colegas do Murilo apoiam-no nas tarefas da escola. Eles também o ajudam a atravessar as ruas, porque ele não pode ouvir nenhum som.

Os meus avós paternos são o Nacir Miquidade e a Isabel Cassuende e os meus avós maternos chamam-se Pedro Cumbe e Cacilda Chiconela. Tenho muitos avôs e avós, tios, tias, primos e primas, do lado materno e paterno.

A minha mãe é de Lindela, em Inhambane, e o meu pai é da Ilha do Ibo, em Cabo Delgado. Eles conheceram-se em Namaacha, no Instituto de Formação de Professores, onde estudavam para serem professores primários. Quando terminaram o curso, começaram a namorar e casaram-se quatro anos depois, em Manica. Eles trabalharam muito tempo nesta província. Os meus irmãos mais velhos nasceram lá.

Três anos depois, os meus pais foram transferidos para a Zambézia. A minha mãe era Directora da EPC 25 de Junho, em Mocuba. Eu e os meus irmãos mais novos nascemos em Mocuba. Afinal de onde sou eu? Quem somos nós? Eu acho que sou de várias partes de Moçambique, é por isso que quero conhecer mais o meu lindo país e fazer muitos amigos.

Como podem ver, a minha família é alargada, diversa, por isso é multicultural. Quando estamos todos juntos, ouvem-se tantas línguas, mas o Português é a língua que nos une. Todos nós falamos Português. É verdade que os meus avós não falam tão bem como nós, mas eles sabem o suficiente para comunicarmos.

Patel, S.A.; Tembe, F. e Majuisse, A.


Actividade 2

Compreensão: Pensar, partilhar, apresentar

Em grupos de 4 formandos, respeitando-se a equidade de género, discutam e respondam às questões que se seguem sobre o texto acima:

  1. De que trata o texto que acabou de ler?
  2. Que línguas falam os personagens do texto?
  3. Como caracteriza a família da Tanayi?
  4. E a sua família, como é?
  5. Que línguas se falam na sua família?
  6. Conforme leu no texto, a Tanayi tem um irmão com necessidades educativas especiais.
  7. Afinal, de onde é a Tanayi? Por que ela se interroga sobre a sua origem?

Actividade 3

Trabalho em grupo
  1. Formem um grupo de 4 colegas, formandos e formandas.
  2. Cada colega diz de onde é que língua ou línguas fala.
  3. Cada um esboça um mapa linguístico da sua família.
  4. Todos apresentam ao grupo o seu mapa linguístico.
  5. Todos fazem perguntas uns aos outros sobre os seus mapas linguísticos.

Enriqueçam o trabalho fazendo perguntas uns aos outros sobre a vossa família e as línguas ou dialectos/variantes que falam.


Actividade 4

Debate: Inclusão educacional

No texto “Quem sou eu?”, aborda-se a inclusão educacional relacionada às necessidades educativas especiais. Organizem-se em grupos, de acordo com os posicionamentos em A, B e C.

Grupo A – É a favor de escolas inclusivas que albergam alunos com necessidades educativas especiais em turmas regulares;

Grupo B – NÃO concorda com escolas inclusivas, sendo a favor de escolas especiais para alunos com necessidades educativas especiais;

Grupo C – É a favor de escolas regulares com turmas especiais para alunos com necessidades educativas especiais.

  1. Qual é a sua posição?
  2. Discutam nos grupos e apresentem os vossos argumentos, em plenário.
  3. Conquistem os outros grupos a aderirem ao vosso, pelos vossos argumentos.
  4. Divirtam-se em debate, assegurando a equidade de fala e participação de formandas e formandos na exposição e defesa de ideias! Caso queira mais informações sobre educação inclusiva em Moçambique, favor consultar o Capítulo V do Manual de Psicopedagogia.

A história lida no texto “Quem sou eu?” deve-lhe ter despertado uma grande curiosidade sobre que línguas são faladas nas várias províncias de Moçambique! Afinal, como são chamadas essas línguas? Preste atenção ao que se explica a seguir!


Assista à Videoaula

Nota: O conteúdo deste vídeo contém o mesmo conteúdo do texto do Manual