Módulo 1 | Panorama Sociolinguístico de Moçambique

Aula 4 | A Importância das Línguas Moçambicanas na Educação e no Desenvolvimento

A importância das línguas moçambicanas na educação e no desenvolvimento

Para estudar a importância das línguas moçambicanas, tem que se recordar das línguas faladas em Moçambique. Quais são e onde são faladas? Agora leia silenciosamente o texto que se segue e partilhe os aspectos importantes com o/a seu/sua colega de carteira!


Importância das línguas moçambicanas no desenvolvimento nacional e global

POR QUE AS LÍNGUAS SÃO IMPORTANTES?

Num discurso sobre a importância das línguas para a sociedade, Kohïchiro Matsuura, Director Geral da UNESCO (1999 – 2009), referiu que as línguas são essenciais para a identidade de grupos e indivíduos e para a sua coexistência pacífica. São um factor estratégico para o desenvolvimento sustentável e para uma relação harmoniosa entre os contextos global e local.

Continuando, ele disse que as línguas asseguram uma educação culturalmente apropriada, que capacita os membros da comunidade a organizarem as suas actividades de desenvolvimento e os ganhos que obtêm, além de gozarem de uma boa qualidade de vida. Os pais cuidam melhor de si mesmos e de sua família quando sabem ler e escrever na sua língua materna e têm acesso à informação sobre saúde numa língua que entendem melhor.

As comunidades etnolinguísticas são, por exemplo, muito vulneráveis à malária, cólera e outras doenças, em parte por falta de informações essenciais na sua língua materna. A leitura de materiais sobre higiene, nutrição, prevenção e combate a doenças em línguas locais demonstrou ser efectiva para melhorar a saúde das comunidades e aumentar a esperança de vida. A disponibilidade de informação culturalmente relevante desfaz os conceitos errados e tabus normalmente associados a várias doenças.

As línguas são um factor determinante para o desenvolvimento sustentável, ajudando a aliviar a pobreza e a fome, a fazer o ensino básico, a promover a igualdade de género e a autonomia das mulheres, a reduzir a mortalidade infantil, a melhorar a saúde materna, a combater o HIV/SIDA, a malária e outras doenças.

OPENSPACE, 2008


Saiba Mais

Aprofunde sue conhecimento. Assista ao documentário: Documentário 'Na Dobra da Capulana' (Moçambique, 2014).


Actividade 6

Trabalho aos pares

O texto que acabou de ler mostra o papel determinante que as línguas têm para o indivíduo, a comunidade e o país. Em pares, respondam, por escrito, às perguntas que se seguem:

1. “... as línguas são essenciais para a identidade de grupos e indivíduos para a sua existência pacífica.”

2. “... as línguas são um factor estratégico para o desenvolvimento sustentável e para uma relação harmoniosa entre os contextos global e local.”

Sustentem a vossa resposta com base no papel das línguas moçambicanas e do Português na sociedade.


Actividade 7

Trabalho em grupo

Formem cinco grupos com representantes de ambos os sexos e elaborem uma redacção de 250 palavras sobre como as línguas moçambicanas podem contribuir para o desenvolvimento do país nos seguintes domínios:

Grupo 1: Unidade nacional;

Grupo 2: Paz e cidadania;

Grupo 3: Diversidade cultural;

Grupo 4: HIV e ITS e prevenção da sua feminização;

Grupo 5: Direitos humanos e linguísticos.

Podem formar os grupos usando figuras de animais ou nomes de países. Usem a vossa imaginação e criatividade! Usem a técnica de redacção conjunta: Numa folha o primeiro colega escreve uma frase relacionada com o tema do grupo; o segundo colega continua, com base no que o primeiro escreveu e assim sucessivamente, até todos completarem e fecharem a vossa redacção. No fim, façam a edição da redacção e dêem um título à vossa escolha, mas que esteja relacionado com a mesma.

Nestas actividades, escrevam apenas em Português. Façam-no com correcção ortográfica e frásica. Evitem escrever períodos e parágrafos longos. Leiam atentamente as vossas respostas antes de partilharem com o formador e com os outros colegas.

Bom trabalho! Divirtam-se!


Importãncia das línguas moçambicanas na educação

Já se referiu, neste módulo, que a língua não é apenas um meio de comunicação. Ela está presente em todas as esferas do desenvolvimento das sociedades. Como é na educação? O processo de ensino e aprendizagem baseia-se na comunicação entre o professor e os alunos e entre alunos. Um dos principais meios dessa comunicação é a língua, apoiada por outros meios como imagens, gestos, mímica, TIC e mais.

Estudos que analisam a relação entre língua e educação mostram que o aluno tem melhores resultados pedagógicos se o ensino for conduzido na sua língua materna ou na língua que melhor domina. Em Moçambique, a língua portuguesa não é conhecida pela maioria da população, apesar de ser a língua oficial e ser falada em quase todo o território nacional. Por isso, faz todo sentido, a introdução de línguas moçambicanas no ensino. Dados estatísticos, sobretudo do Censo de 2007, indicam que perto da metade da população moçambicana (50.4%) fala a língua portuguesa, sendo que uns a falam como língua primeira (10.7%) e outros como língua segunda (cerca de 40%). Em contraste, cerca de 85%, portanto, a maioria, da população tem uma língua moçambicana como materna (L1) e 90% dos moçambicanos fala, pelo menos, uma língua moçambicana.

Sobre a condição do conhecimento da língua portuguesa entre homens e mulheres, embora se registe alguma melhoria, os dados estatísticos dos três últimos censos populacionais realizados no país apontam para uma situação desprivilegiada da mulher em relação ao homem. Por exemplo, no censo de 1997, 50% dos homens recenseados sabiam falar a língua portuguesa, contra apenas 29% de mulheres. No censo de 2007, os dados indicam que 59.8% dos homens recenseados sabiam falar a língua portuguesa, contra 41.2% de mulheres. Por sua vez, o último censo realizado em 2017 constatou que, dos cerca de dez milhões e quinhentos mil moçambicanos que declararam ter conhecimento da língua portuguesa, 54.4% são homens, sendo que as mulheres ficaram nos 45.6%.

O uso das línguas moçambicanas no ensino não é visto apenas sob o ponto de vista linguístico pedagógico. Também é visto como um direito da criança e do(a) adulto(a) de aprender na sua língua materna, de acordo com a carta das Nações Unidas dos direitos humanos, nos quais se incluem os direitos linguísticos.

As línguas são, também, um factor de manifestação, preservação e manutenção das identidades culturais e étnicas, como já estudou neste módulo. Assim, o uso de línguas moçambicanas na educação responde à necessidade de valorização da língua da criança e do adulto para o desenvolvimento da sua afirmação, auto-estima, identidade, justiça e uma forma de cultivar atitudes mais positivas em relação ao valor da educação.


Actividade 8

Reflexão
  1. Um grupo de activistas sociais pretende realizar uma campanha de consciencialização, prevenção e combate ao consumo de álcool nas escolas. O grupo seleccionou 3 escolas: uma na zona urbana, uma na zona suburbana e outra na zona rural. Você é convidado a fazer parte da preparação da actividade.
  2. Os dados estatísticos comparativos sobre o domínio da língua portuguesa, entre homens e mulheres, apontam para uma situação desprivilegiada da mulher em relação ao homem.

Assista à Videoaula

Nota: O conteúdo deste vídeo contém o mesmo conteúdo do texto do Manual