Módulo 6 | A Escrita e sua Prática nas Línguas Moçambicanas

Aula 1 | Tipos de Escrita

A ESCRITA E SUA PRÁTICA NAS LÍNGUAS MOÇAMBICANAS

A escrita, assim como outras habilidades linguísticas já aprendidas, é muito importante na aprendizagem de uma língua. Enquanto habilidade linguística, a escrita é o culminar das aprendizagens que vem adquirindo sobre uma dada língua. É por isso que, em contextos de educação formal, a leitura e a escrita são duas das habilidades fundamentais sobre as quais depende a avaliação do desempenho do aluno.

O aluno que não apresente um domínio aceitável de leitura e de escrita precisa de mais apoio do professor para que possa desenvolver outras habilidades do conhecimento. Adultos que não tiveram a oportunidade de aprender a ler ou escrever na infância podem ter limitada mobilidade socioeconómica. Para que todas as crianças consigam sucesso escolar na leitura e na escrita, o professor precisa de usar estratégias de ensino diferenciadas para alunos com deficiência ou com dificuldades de aprendizagem. Também é importante que o professor adopte metodologias centradas no aluno, actuando como mediador e inspirando os seus alunos para participar na aula. Os professores primários precisam de cuidar também da equidade de género, criando oportunidades para estimular e elogiar ambas (os) as raparigas e os rapazes, por cada avanço nas suas habilidades de leitura e escrita.

O rendimento na escrita, mais que outro indicador, é considerado o principal indicador de desempenho escolar do aluno e dos sistemas educativos. É por isso que, quando a maior parte dos alunos não tem bom desempenho na leitura e escrita, a qualidade do sistema educativo é questionada, o que pode levar à perda da sua credibilidade.

Como formando(a) hoje e professor(a) primário(a) do amanhã, você deve saber desenvolver e aprimorar a sua habilidade de escrita na sua língua moçambicana. Para que isso seja possível, deve praticar constantemente a escrita na sua língua moçambicana de trabalho, partindo de textos simples a complexos, textos de natureza diversa, com temáticas de interesse individual, colectivo ou social, de modo a construir uma aprendizagem significativa.


Actividade 1

Trabalho aos pares

Acabou de ler um texto sobre a escrita. Vamos pensar juntos:

1. Será que podemos separar a escrita da leitura ou da oralidade?

2. Dialogue com o seu colega de carteira sobre isso. A que ponto chegaram?

É verdade que a oralidade, a leitura e a escrita são habilidades linguísticas que se entrelaçam, sendo difícil separar uma da outra. Quando tratamos da escrita, a leitura está implicitamente presente e vice-versa.

A actividade de leitura é fundamental, pois a sua prática aperfeiçoa a expressão oral e escrita, favorece o conhecimento e a compreensão, desenvolve o raciocínio, a memória, a imaginação, o sentido crítico e estético.

Depois de conhecermos os princípios básicos da escrita e, considerando que você já aprendeu o suficiente sobre as regras de escrita na sua língua moçambicana de trabalho, vamos passar para actividades que promovam as duas habilidades.


Actividade 2

Estudo independente
  1. Procure um texto escrito na sua língua, na biblioteca do IFP ou noutro lugar. Leia-o atentamente e faça o seu resumo. Lembre-se que aprendeu a fazer resumo na disciplina de Língua Portuguesa. O resumo deve conter:
  2. O que achou da actividade?
  3. Sabe que tipo de escrita desenvolveu ao elaborar o resumo do texto?
  4. Faça uma história livre, de 5 linhas no máximo, e ilustre-a.

Tipos de escrita

A escrita pode ser subdividida em duas modalidades, a saber: a compositiva e a não compositiva. Estas duas modalidades são exploradas a seguir.


A escrita não compositiva

A escrita não compositiva é aquela que não implica necessariamente uma estruturação textual, compreendendo apenas pequenos segmentos ou frases simples. As listas para compras, perguntas para um questionário, uma ficha de leitura e um texto de tomada de notas, a par do resumo, são exemplos de textos não compositivos. Ao resumirmos um texto, por exemplo, também estamos no processo de escrita não compositiva.


Actividade 3

Trabalho em grupo
  1. Organizem-se em grupos linguísticos ou de línguas próximas. Cada grupo deve ter uma tarefa específica. Façam o sorteio das actividades através do método par ou ímpar ou por meio de papelinhos.
  2. Cada grupo deve saber organizar a sua tarefa. A interacção deve ser apenas entre os elementos de cada grupo.
  3. No fim, cada grupo apresenta o seu trabalho à turma, seguido de debates sobre o mesmo.

Actividade 4

Trabalho em grupo

É muito importante envolver a comunidade na escola e vice-versa. O que podemos programar em actividades de escrita? A turma pode organizar um debate sobre que actividades de literacia podem realizar com o envolvimento da comunidade através das escolas de Estágio. Organizem-se em grupos e distribuam as tarefas como se segue:

Grupo 1: Organiza o debate;

Grupo 2: Sintetiza as ideias saídas do debate;

Grupo 3: Operacionaliza as ideias do debate;

Grupo 4: Estabelece o contacto com a Direcção da Escola e o Conselho de Escola para operacionalizar a interacção com a comunidade.


1ª etapa

  1. Identifiquem um casal idoso para contar uma história, na língua local, sobre os casamentos na comunidade. Vão tomando notas (nas vossas línguas moçambicanas de trabalho) do que estão a ouvir, discretamente;
  2. Depois de ouvirem a história façam perguntas, gentilmente, para entenderem que tipos de casamento ocorrem mais na sua comunidade. É muito importante que tanto o homem como a senhora possam falar;
  3. Conduzam a conversa para colher deles a sua opinião sobre uniões prematuras e o papel da sociedade na protecção às meninas da faixa dos 10 aos 17 anos contra esse tipo de união;
  4. No fim, agradeçam o casal pela sua participação na actividade de interacção com a escola e digam que esperam contar com eles em próximas ocasiões.

2ª etapa

  1. Em grupos de línguas mutuamente inteligíveis, organizem as vossas notas;
  2. Troquem as notas entre os grupos para enriquecerem cada tomada de notas;
  3. Façam um texto expositivo-argumentativo, nas vossas línguas moçambicanas de trabalho, sobre as uniões prematuras. Consultem o vosso Manual de Língua Portuguesa para saberem mais sobre como elaborar um texto deste tipo.

3ª etapa

  1. Entreguem os trabalhos ao (à) formador(a) para correcção;
  2. Os melhores trabalhos serão afixados no mural da turma.

A escrita compositiva

Contrariamente à escrita não compositiva, a compositiva é a que requere maior rigor na estruturação textual, desde a selecção vocabular, a selecção dos articuladores, a coesão e coerência textual. A maior parte dos géneros textuais pertencem a esta modalidade de escrita. Por exemplo, os textos administrativos, os literários, multiuso, jornalísticos, de chamada de atenção e os normativos são de natureza compositiva. Para mais informações, também poderão consultar o Manual de Língua Portuguesa. É esta modalidade que vai ser trabalhada e praticada nesta aula.


Actividade 5

Trabalho independente

Hoje vão fazer uma actividade divertida relacionada com a escrita compositiva. Vão compor uma música na vossa língua moçambicana de trabalho. Sigam as seguintes etapas para orientação do vosso trabalho. Também podem recorrer aos músicos da comunidade próxima do vosso IFP ou Escola de Estágio. Para escrever canções com sucesso, não basta escrever bem, não basta ser poeta. Você tem que ser muito aberto(a) e soltar a imaginação.

Seguem-se as 3 etapas para você escrever, de forma divertida, as suas primeiras canções na sua língua moçambicana.


1ª etapa

  1. Cantarolem ou toquem uma melodia infantil conhecida e, depois, tentem adaptar a essa melodia algo escrito por vocês, em prosa ou em verso, na vossa língua moçambicana de trabalho;
  2. Escrevam uma letra sem rima e façam coincidir cada nota com uma sílaba;
  3. Apontem uma lista de títulos não muito sérios, que descrevam a primeira linha de vosso texto com pelo menos sete sílabas;
  4. Escrevam alguns títulos mais sérios com o mesmo número de sílabas dos títulos não muito sérios;
  5. Escolham um dos títulos sérios e escrevam em prosa e em poucas linhas, a história por detrás do título, tendo sempre presente que não deve rimar;
  6. Utilizando a informação da história, escrevam uma letra sem rima para a melodia infantil escolhida;
  7. Por fim, escrevam a letra definitiva e séria com a história e as rimas.

2ª etapa


3ª etapa

  1. Organizem um concurso para a apresentação das canções no vosso IFP;
  2. Organizem um júri com os membros da comunidade escolar e local.

Divirtam-se!

Assista à Videoaula

Nota: O conteúdo deste vídeo contém o mesmo conteúdo do texto do Manual