Módulo 6 | A Escrita e sua Prática nas Línguas Moçambicanas

Aula 2 | Textos Administrativos

Textos administrativos

Na disciplina de Língua Portuguesa, aprendeu a natureza e tipos de textos administrativos. Por exemplo, já sabe o que é e como se faz um requerimento, uma acta e um relatório. Estes são alguns exemplos de textos administrativos. O objectivo aqui não é definir estes tipos de texto, mas sim produzi-los na sua língua moçambicana de trabalho.


Actividade 6

Estudo independente

Imagine que uma organização juvenil de que você faz parte, pretende levar a cabo uma actividade cívica de sensibilização contra o uso e/ou consumo de álcool e drogas entre jovens em formação no IFP onde você se está a formar:


Actividade 7

Estudo independente
  1. A partir das sessões de reunião da turma, elabore um relatório informativo, na sua língua moçambicana, sobre o que aconteceu no encontro;
  2. Troque o relatório com um(a) colega que fale a mesma língua que a sua ou que fale uma língua próxima;
  3. Faça as correcções linguísticas e de conteúdo necessárias no seu relatório, tendo em conta as alterações ou emendas sugeridas pelo (a) colega;
  4. Reescreva o seu relatório, inserindo as correcções e observações sugeridas pelo(a) colega;
  5. Em seguida apresentem os relatórios à turma;
  6. Coloquem os relatórios na vitrina da turma para partilha e divulgação.

Textos literários

Os textos literários são uma construção textual com normas literárias, objectivos e características próprias. A sua principal marca é o uso de uma linguagem elaborada, de forma a causar emoções no leitor. São exemplos o conto, a novela, o romance, a poesia e a peça teatral. Os textos literários podem ser escritos (literatura escrita) ou orais (literatura oral).


Texto

A mulher na escrita de Paulina Chiziane

Paulina Chiziane (Manjacaze, Gaza, 4 de Junho 1955) é uma escritora moçambicana. Cresceu nos subúrbios da Cidade de Maputo, anteriormente chamada Lourenço Marques. Nasceu numa família protestante, onde se falavam as línguas Copi e Rhonga. Aprendeu a língua portuguesa na escola de uma missão católica. Começou os estudos de Linguística na Universidade Eduardo Mondlane sem, porém, ter concluído o curso. Iniciou a sua actividade literária em 1984, com contos publicados na imprensa moçambicana. Com o seu primeiro livro, Balada de Amor ao Vento, editado em 1990, tornou-se a primeira mulher moçambicana a publicar um romance.

A partir da leitura do conjunto da obra da escritora, percebe-se a sua preocupação com o feminino, de um modo geral, e com a mulher moçambicana, em particular. A escritora demonstra conhecer em profundidade as demandas político-jurídicas e sociais relacionadas às mulheres de seu país, sem perder de vista questões histórico-culturais muito importantes, como a poligamia. Esta prática social está retratada no conjunto de sua obra. Algumas vezes, como em Balada de Amor ao Vento, para questionar a cultura imposta pelo colonizador, pois Sarnau amava Mwando, queria viver ao lado dele, e não se importava em ser a sua segunda esposa. Este, totalmente assimilado à cultura ocidental cristã, prefere o casamento monogâmico. Vê-se que a leitura do feminino em Moçambique, a partir das obras da escritora Paulina Chiziane, requer, além do estudo das ideias feministas pós-coloniais - que privilegiam as reflexões de raça e género, cidadania e identidade - uma pesquisa acerca das práticas sociais e culturais das diversas etnias que habitam o território moçambicano, abrangido pelo vasto espectro ficcional da obra da autora. Requer ainda um maior conhecimento de aspectos antropológicos e historiográficos do país e a disposição de percorrer caminhos nem sempre seguros, já que as fontes são, em última instância, também interpretações, nem sempre de vivências e experiências. As personagens dos livros de Paulina são “forjadas” e “temperadas” na e pela dor, o que nos permite afirmar que as acções desenvolvidas por elas, por um lado, representam os sofrimentos, os desejos e as angústias das mulheres moçambicanas, mas também as crenças e esperanças de dias melhores.

Rio de Janeiro, v.1, n. 2, pp. 62-70, jan/jul 2010.


Saiba Mais

Aprofunde sue conhecimento. Assista ao vídeo: Paulina Chiziane a páginas Tantas.


Actividade 8

Trabalho em grupo
  1. De acordo com o texto, como é que a mulher é retratada nos livros de Paulina Chiziane?
  2. O que é poligamia? O que acham sobre esta prática na nossa sociedade?
  3. Quando a poligamia envolve uniões prematuras, o que acontece com as meninas envolvidas?
  4. A dado momento, no texto pode ler-se a seguinte passagem: “...queria viver ao lado dele, e não se importava em ser a sua segunda esposa...”
    • Que comentários fazem sobre esta passagem?
    • O que acham desta atitude em relação ao modo de vida moderno?
    • O que diz o texto acima sobre este assunto?
  5. Apontem três acções que podem ser desenvolvidas para se discutir as questões sobre poligamia e uniões prematuras no nosso país.
  6. Pesquisem sobre o prémio internacional recebido pela escritora Paulina Chiziane: tipo específico de prémio; o ano e o fórum em que lhe foi atribuído.
  7. Na sua língua moçambicana de trabalho, elabore um texto de 500 palavras sobre a vida de uma escritora ou um (a) escritor (a), um (a) cantor (a), um(a) escultor(a) moçambicano(a), à sua escolha. Troque o texto com os colegas para corrigirem, antes de entregaram ao (à) formador(a). No fim, coloquem na vitrina da turma, com o apoio do (a) formador(a).

Actividade 9

Trabalho aos pares
  1. Em pares mistos (uma formanda e um formando), façam um poema, na vossa língua moçambicana de trabalho, sobre um dos seguintes temas:
  2. Façam um concurso de declamação dos poemas;
  3. Afixem os melhores poemas nas vitrinas do IFP.

Texto

Nutrição, saúde e bem-estar

Todos nós procuramos o bem-estar e qualidade de vida no dia-a-dia. Todos queremos viver com mais saúde. Bem-estar é estar de bem com a vida. É procurar sempre o equilíbrio entre o corpo e a mente. Este equilíbrio propicia uma vida saudável. A nossa alimentação é um indicador do nosso bem-estar. Uma alimentação saudável é por si só um caminho para um estado de saúde adequado. Comer bem não é comer muito e muito menos comer pouco. Comer bem significa comer alimentos variados todos os dias. Para além dos alimentos básicos, é importante comer frutas e legumes. As frutas e legumes protegem o corpo contra as doenças. É preciso comer alimentos variados todos os dias. Alguns pratos da comunidade são saudáveis. Também é muito bom saber aproveitar os produtos locais como frutas, legumes que nos protegem contra doenças.


Actividade 10

Trabalho independente

Leia silenciosamente o texto sobre nutrição, saúde e bem-estar.

  1. Faça uma tradução contextualizada do texto para a sua língua moçambicana.
  2. Que hábitos alimentares são mais comuns na sua zona de origem?
  3. Qual a importância da boa alimentação para aprendizagem da criança na escola?
  4. Ficou sensibilizado com o texto que acabou de ler? Vai mudar os seus hábitos alimentares? Porquê? O que vai fazer para mudar os seus hábitos alimentares?

Actividade 11

Trabalho em grupo
  1. Organizem-se em grupos linguísticos de 5 formandos de ambos os sexos;
  2. Elaborem um texto dramático, criativo e sugestivo sobre a obesidade. Não se esqueçam de:
  3. No fim , encenem o texto para a turma! Divirtam-se muito!

Actividade 12

Trabalho independente
  1. Escreva um texto narrativo, na sua língua moçambicana de trabalho, sobre a importância da Alfabetização e Educação de Adultos, na sua comunidade.
  2. Leia o texto para a turma;
  3. Depois de corrigido, exponha-o na vitrina da turma.

Assista à Videoaula

Nota: O conteúdo deste vídeo contém o mesmo conteúdo do texto do Manual