Introdução | Manual de Línguas Moçambicanas

O presente Manual de Línguas Moçambicanas faz parte de uma série de cinco manuais, a saber: Psicopedagogia, Língua Portuguesa, Línguas Moçambicanas, Didáctica de Língua Portuguesa e Didáctica de Língua Primeira. Todos eles destinam-se à formação de professores para o ensino primário e educação de adultos. Os mesmos foram elaborados pelo Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, com o financiamento do Governo do Canadá, no âmbito do Projecto BETTER.

Estes manuais, para além de obedecerem à Lei do Sistema Nacional de Educação, aos Planos Curriculares do Ensino Primário e de Formação de Professores para o Ensino Primário e Educação de Adultos, aos programas de ensino e aos demais documentos normativos da educação em Moçambique, respeitam os princípios estabelecidos para a promoção de um ensino centrado no aluno, na inclusão, na equidade de género e outros temas transversais.

À luz do Plano Curricular de Formação de Professores para o Ensino Primário e Educação de Adultos, com este Manual pretende-se desenvolver, nos formandos do curso de formação de professores do Ensino Primário e Educação de Adultos, as competências e atitudes seguintes:

O presente Manual de Línguas Moçambicanas constitui uma ferramenta que visa dotar os formandos de habilidades de literacia nas suas línguas moçambicanas de trabalho, no contexto da Educação Bilingue no Ensino Primário.

A construção da leitura e da escrita da e nas línguas moçambicanas orienta-se numa dinâmica educativa inserida num país real, linguística e culturalmente diverso e heterogéneo, como ilustra a seguinte citação:

A visão da relevância do currículo fundamenta-se na percepção de que a educação tem de ter em conta a diversidade dos indivíduos e dos grupos sociais, para que se torne num factor, por excelência, de coesão social e não de exclusão. Efectivamente, muitas vezes, acusam-se os sistemas educativos formais de impor aos educandos os mesmos modelos culturais e intelectuais, sem prestar atenção suficiente à diversidade dos talentos, da imaginação, atitudes, predilecções, fobias, dimensão espiritual e habilidade manual. (PCEP)

O currículo de formação de professores não é alheio a esta realidade. Isto significa que os(as) professores(as) devem ser preparados para fazer face a este contexto, o que requer estratégias pedagógicas e metodologias apropriadas. Para o efeito, são introduzidos dois módulos, designadamente, o de Línguas Moçambicanas e o de Didáctica de Língua Primeira, nos Institutos de Formação de Professores (IFP’s).

Nesse sentido, na elaboração do presente Manual parte-se dos seguintes pressupostos: (i) os(as) formadores(as) e os(as) formandos(as) dos IFP’s, os futuros professores primários, são falantes nativos de, pelo menos, uma língua moçambicana (LM ou L1); (ii) a sua escolarização foi feita apenas na língua portuguesa, o que significa que devem aprender a ler e escrever na sua LM, futura língua de trabalho; (iii) falam o Português como língua segunda (L2) e não possuem uma literacia robusta nesta língua; (iv) a maior parte dos beneficiários provém de contextos rurais orais com uma cultura de literacia fraca, tanto na L1, como na L2.

Assim, dois desafios se colocam na formação dos futuros professores, a saber: incidir na literacia das suas línguas moçambicanas e na literacia do Português como L2. Estes são considerados desafios porque: (i) os formandos deverão especializar-se no ensino de e numa língua moçambicana da qual são falantes, bem como no ensino de Português, sem que tenham aprendido formalmente a ler e a escrever na língua moçambicana e sem que tenham alcançado níveis satisfatórios de uso da norma padrão do Português; (ii) os formandos têm, também, o desafio de ensinar estas línguas como disciplina, para ajudar os alunos a desenvolverem as suas habilidades linguísticas, e usá-las como meio de ensino de outras disciplinas curriculares.

Tendo em conta que o presente Manual se destina à formação inicial de professores para o ensino primário e educação de adultos, os módulos foram estruturados por forma a desenvolver, no formando, as quatro habilidades linguísticas, nomeadamente: ouvir, falar, ler e escrever, respondendo, deste modo, ao perfil de saída destes profissionais. Estas habilidades serão desenvolvidas a partir de recursos de aprendizagem de matiz linguística, de cultura geral e de temas transversais do currículo do Ensino Primário, de Formação de Professores e de Educação de Adultos.

Os temas transversais serão abordados de forma integrada em práticas de produção oral, de leitura e escrita. Por exemplo, nos vários módulos, os temas transversais serão abordados através de diferentes géneros textuais, tais como anúncios, cartazes, contos, poemas, canções e outros que despertem a atenção dos formandos para o seu futuro trabalho, o Ensino Primário e Educação de Adultos. Assim, abordaremos temas como: cultura, paz, diversidade, diferença, unidade nacional, cidadania, democracia, ambiente, desenvolvimento, género e saúde sexual reprodutiva. Outros temas poderão ser sugeridos pelos(as) formandos(as). Enfoque especial coloca-se na promoção dos valores respeitantes às questões do género, que irão ser observadas na abordagem dos conteúdos do Manual.


LINGUAGEM ADOPTADA NO MANUAL

A abordagem linguística adoptada neste Manual observa os princípios de género, preconizados no Currículo de Formação de Professores para o Ensino Primário e Educação de Adultos. No entanto, para não sobrecarregar o layout do texto escrito, as marcas de género (o/a) não serão morfologicamente destacadas. Igualmente, adoptou-se uma linguagem clara e menos tecnicista, daí que os poucos termos técnicos são apresentados, ao longo do Manual, em forma de Ficha Informativa. Do mesmo modo, o Manual não adoptou uma terminologia específica para se referir às línguas bantu, o que se traduz no uso dos termos (i) Línguas Bantu de Moçambique, (ii) Línguas Moçambicanas, (iii) Língua Bantu ou Língua Moçambicana de Trabalho, como sinónimos do termo língua moçambicana, mais familiar ao formando. Além disso, é uma maneira de o formando conhecer a diferente terminologia usada para se designar estas línguas.


COMO USAR ESTE MANUAL

Por ser auto-instrucional, o presente Manual foi concebido e estruturado por forma a permitir uma fácil exploração. Assim, cada módulo apresenta: (i) os conteúdos em aprendizagem, seguindo-se os exercícios de indução e de consolidação; (ii) o resumo dos conteúdos tratados; (iii) uma ficha informativa, principalmente, de termos técnicos integrados em cada um dos módulos; (iv) exercícios de aplicação e avaliação, de prática individual ou colectiva; (v) os exercícios de auto-avaliação serão resolvidos por escrito; e (vi) no final de cada módulo, propõe-se uma lista bibliográfica para leitura complementar sobre os conteúdos desenvolvidos ao longo do mesmo.


ORGANIZAÇÃO DO MANUAL

O Manual estrutura-se em módulos como se apresenta a seguir:

Módulo I: Panorama sociolinguístico de Moçambique
Neste módulo, introdutório do Manual, você vai, fundamentalmente, familiarizar-se com os aspectos do contexto social e linguístico de África, em geral, e de Moçambique, em particular.
Módulo II: Sistema de sons e ortografia das línguas moçambicanas
Neste módulo, você vai adquirir os fundamentos sobre a leitura e a escrita da e nas línguas moçambicanas.
Módulo III: O nome nas línguas moçambicanas
Neste módulo, você vai aprender que, nestas línguas, o nome ou substantivo é organizado em classes, que são conjuntos de palavras que apresentam o mesmo prefixo e/ou o mesmo padrão de concordância.
Módulo IV: O verbo e a frase nas línguas moçambicanas
Um aspecto importante do funcionamento de uma língua tem a ver com o verbo na frase. Neste módulo, você vai aprender as características do verbo e da frase nas línguas moçambicanas. Estes aspectos são abordados de forma integrada e sistemática.
Módulo V: A leitura e sua prática nas línguas moçambicanas
Neste módulo, você vai desenvolver as suas habilidades de leitura na língua moçambicana que já fala, aplicando as regras aprendidas através de diferentes exercícios práticos e interactivos.
Módulo VI: A escrita e sua prática nas línguas moçambicanas
A escrita, assim como as outras habilidades já desenvolvidas, é muito importante na aprendizagem de uma língua. Enquanto habilidade linguística, a escrita é o culminar das aprendizagens que vem adquirindo. Assim, este módulo oferece-lhe conhecimentos e práticas que visam fortalecer as suas habilidades de escrita na sua língua moçambicana de trabalho.

Ainda que as diferentes habilidades linguísticas sejam tratadas em módulos diferentes, neste Manual adopta-se uma abordagem de ensino e aprendizagem integrada, considerando a natureza complementar das diferentes habilidades. A aprendizagem de uma língua em contextos escolares segue uma ordem natural, ou seja, ouvir, falar, ler e escrever. No entanto, em determinados momentos, você poderá ter, por exemplo, actividades que iniciam com a escrita, passando pela leitura e terminando com a oralidade.


ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM AUTO-INSTRUCIONAIS

A proficiência numa determinada língua alcança-se pelo desenvolvimento sistemático de quatro habilidades linguísticas: ouvir, falar, ler e escrever. Estas habilidades estão ligadas à vivência cultural, no caso específico, à experiência linguístico-cultural do formando, de modo a que ele possa desenvolver as habilidades necessárias para usar a língua, de acordo com as suas necessidades comunicativas, como futuro professor do Ensino Primário.

Tratando-se de um Manual auto-instrucional, as actividades sugeridas têm igualmente em conta o dinamismo característico do ensino e aprendizagem de uma língua no Ensino Primário. Deste modo, as actividades sugeridas foram concebidas de modo a permitir uma participação activa dos formandos, tornando o ensino divertido e frutífero, dando mais relevo às interacções entre os actores do processo educativo. Esta abordagem torna os sujeitos activos da aprendizagem, e não meros receptores das matérias curriculares, cabendo ao formador o papel de facilitador deste processo de aprendizagem. A seguir apresentam-se e desenvolvem-se os módulos que compõem o Manual.


LISTA DE ÍCONES

Módulos Exercício de Auto-Avaliação
Resultados Esperados Trabalho em Grupos de Línguas
Texto Compreensão
Estudo Independente Resumo
Reflexão Bibliografia
Dramatização Teatro do Leitor
Chaves de Correcção dos Exercícios Trabalho aos Pares
Jornal da Turma Leitura para Gravação
Leitura para o Desenvolvimento da Fluência Prática da Leitura Silenciosa
Debate Roda de Leitura

Assista à Videoaula

Nota: O conteúdo deste vídeo contém o mesmo conteúdo do texto do Manual