Módulo 1 | A Psicopedagogia na Formação dos Professores

Aula 1.1Conceito, origem e papel da Psicopedagogia na prática docente

1.1.1 Conceito e origem da Psicopedagogia

Reflexão Inicial 1

  1. 1. Dois a dois, entrevistem-se reciprocamente com base nas seguintes perguntas:
    • a) Qual é a sua experiência com diferentes professores durante a sua escolarização?
    • b) Que professores lhe marcaram? Porquê?
    • c) Qual era o seu professor favorito? Porquê?
  2. 2. Faça um registo resumido das respostas.
  3. 3. Partilhe o resumo em plenário.

Depois da reflexão tida com os colegas sobre a sua experiência durante a sua escolarização no ensino primário e secundário, esperamos que tenha chegado à conclusão de que teve alguns professores que lhe marcaram positiva ou negativamente. No caso dos professores que lhe marcaram positivamente, de certeza, um dos aspectos marcantes deve ser a competência desses em ensinar, em fazer aprender a si e aos outros colegas.

Isto quer dizer que, para se ser um professor marcante no sentido positivo, isto é, um bom professor, deve demostrar competências psicopedagógicas, as quais incluem conhecimentos relacionados com o ensino, com a aprendizagem, com os alunos, assim como sobre os princípios gerais do ensino, tempo de aprendizagem académica, tempo de espera, ensino em pequenos grupos, gestão da turma, etc. Inclui também conhecimentos e habilidades sobre técnicas didácticas, estrutura das turmas, planificação, cultura social e influências do contexto de ensino.

Porque este tipo de competências caracteriza a essência do trabalho do professor com os alunos e na escola, tem sido geralmente catalogado como sendo a essência da “competência profissional” do professor e o centro da “qualificação psicopedagógica” do professor ou do aspirante à profissão docente.

Portanto, a Psicopedagogia é uma área do saber científico que estuda os processos relacionados com a aprendizagem humana, ou seja, visa explicar como o processo de aprendizagem ocorre.

A Psicopedagogia possui um enfoque interdisciplinar, abrangendo a Psicologia, a Pedagogia, a Didáctica, a Psicanálise, a Neuropsicologia, a Sociologia, a Antropologia, dentre outras áreas de conhecimento. Portanto, a Psicopedagogia e, em particular, a prática docente requer saberes múltiplos provenientes de diferentes áreas científicas.

Na contemporaneidade, observa-se que a Psicopedagogia pauta a sua acção em três fundamentações teóricas, plasmadas no quadro abaixo:

Tabela 1: Fundamentos teóricos da Psicopedagogia

Fundamentação teórica

Contribuição para a Psicopedagogia

Psicanálise

Explica a importância da relação emocional entre o professor e o aluno;

Explica a necessidade da criação do vínculo emocional entre o professor e o aluno para que ocorra a aprendizagem (criação de condições e ambiente agradáveis, valorizantes e estimulantes para o aluno).

Associacionismo

Depreende que avalorização está centrada no tecnicismo. Neste caso prevalece o elemento externo sobre o cognitivo.
ex: o trabalho didáctico-metodológico do professor, a atractividade dos materiais didácticos, a arrumação da sala de aulas, entre outros aspectos, como elementos externos do sujeito que aprende, requerendo do professor a aplicação de técnicas que estimulem a actividade cognitiva para aprendizagem.

Construtivismo

Explica que:
As relações sociais mostram-se essenciais para o desenvolvimento;
É na interacção que se procede à construção do conhecimento;
Nessa interacção está em causa a assimilação do saber, a partir da relação dialéctica entre o novo e os conhecimentos, atitudes e habilidades dos alunos (pré- requisitos).

A Psicopedagogia, por outras palavras, permite estudar a pessoa e o seu meio envolvente nas várias etapas de aprendizagem, considerando as potencialidades cognitivas, afectivas e sociais para o melhor desenvolvimento da aprendizagem dos alunos.

O processo de aprendizagem constitui a principal finalidade da Psicopedagogia. Se o professor é o elemento que orienta o processo de construção de conhecimento, então, pode-se estabelecer uma relação entre este processo e o professor. E dessa relação pode-se sublinhar o papel da Psicopedagogia no contexto da formação do professor.

Embora a Psicopedagogia não resulte da junção da Psicologia e Pedagogia, do ponto de vista etimológico, ela sugere a justaposição das mesmas áreas do saber, as quais podem ser entendidas conforme o esquema seguinte:

1.1.2 Papel da Psicopedagogia na prática docente

A Psicopedagogia desempenha um papel relevante na prática docente, porque:

a. É base para a organização lógica e racional das actividades do professor e dos alunos.


Na planificação de qualquer conteúdo, é necessário partir do simples para o complexo. Por exemplo, para o ensino da escrita e do cálculo iniciais, começa-se pela motricidade fina, que consiste em cobrir tracejados, para treinar a destreza e a coordenação motora das crianças. A intervenção do professor no apoio à criança neste processo é fundamental, como se pode ver na figura 2.

Figura 1: A intervenção do professor no apoio ao aluno

b. É o meio através do qual o professor desenvolve competências para a planificação de aulas, de acordo com as condições concretas, dos conteúdos e dos objectivos da aprendizagem.

A aula é conduzida em função das condições concretas existentes na escola (contexto cultural, regional, tempo, recursos de aprendizagem, número de alunos, tipo de turma, etc.). Por exemplo: quando se planifica na zona rural uma aula sobre frutas, o melhor exemplo a dar deve ser de acordo com a fruta que exista nessa zona.

c. É a base para a compreensão sistemática dos alunos pelos professores.

Uma das matérias estudadas na Psicopedagogia é o desenvolvimento do processo de aprendizagem do indivíduo. Com este conhecimento, o professor deve ser capaz de adequar os conteúdos de aprendizagem ao nível do desenvolvimento cognitivo, afectivo e psicomotor do aluno. Neste contexto, a Psicopedagogia deve ajudar também os professores a compreender melhor as diferenças no desenvolvimento (cognitivo, emocional, comportamental e social) das alunas e dos alunos.

Assim, na primeira e segunda classes não se deve usar, com maior frequência, conceitos abstractos como o ar, sem dar exemplo das suas manifestações para facilitar a compreensão. Mas já na a partir da terceira classe é possível explicar alguns conceitos abstractos, porque o nível de desenvolvimento cognitivo do aluno está preparado para conteúdos que exijam abstracção.

d. É fundamental para o esclarecimento das dificuldades de aprendizagem que não têm como causa, apenas, deficiências do aluno, mas que são consequência de problemas escolares.

Os alunos apresentam, naturalmente, sucessos e/ou insucessos na aprendizagem. As causas desse desempenho podem ser do próprio aluno, do professor ou do meio onde a aprendizagem ocorre. Cabe ao professor e à Direcção da escola, em cooperação com os pais e encarregados de educação, desenvolver acções que contribuam para a prevenção, remediação e superação das dificuldades de aprendizagem que possam ocorrer com um aluno ou grupo de alunos e, sempre que necessário, envolver uma equipa multidisciplinar. Estas actividades podem ser realizadas na concentração, na sala de aulas, nas reuniões com os pais e encarregados de educação, nas visitas às casas dos alunos, ao nível do Conselho dae Escola, bem como nos debates entre professores.

e. É relevante para a análise de factores que favorecem ou prejudicam a aprendizagem numa instituição.

É necessário conhecer os aspectos psicológicos que interferem no processo de aprendizagem, nomeadamente: a atenção;, a memória;, o pensamento;, a percepcão;, as sensações;, os sentimentos;, a linguagem;, o carácter;, a motivação, entre outros. Estes aspectos são determinantes no processo de aprendizagem e, assim, o professor deve reconhecer os pressupostos necessários para que todos os alunos desenvolvam o seu potencial máximo de aprendizagem.

f. É a base para auxiliar o professor no desenvolvimento de projectos favoráveis às mudanças educacionais, visando evitar dificuldades de aprendizagem.

O aluno é parte integrante da escola. Assim sendo, deve ser envolvido nas actividades da escola, tais como, a higiene escolar, a produção escolar, as actividades desportivas e culturais, de modo a aliar a teoria e a prática, mas também como forma de o ajudar a desenvolver actividades que concorram para o seu bem- estar, evitando comportamentos desajustados. Neste contexto, o papel do professor é o de reconher da relevância que este tipo de ocupação tem para o desenvolvimento da personalidade do aluno.

g. O professor será capaz de promover o desenvolvimento psicomotor e social da criança.

O professor tem como papel principal criar e estimular um ambiente educativo. O ensino tem de se processar através da coordenação e acompanhamento das informações (conteúdos), devendo fornecer os contextos e o conhecimento base que promovam uma verdadeira autonomia. Assim, é necessário que o ensino seja orientado à resolução de problemas, que exijam experimentação, para que a aprendizagem seja realmente significativa, como se pode ver na imagem abaixo.

Figura 2: Exemplo da aprendizagem dos alunos através de uma experiência em grupo.

Resumo do Tema

A Psicopedagogia é uma área curricular que estuda os processos de aprendizagem humana, ou seja, interpreta e explica como o processo de construção do conhecimento ocorre nos indivíduos. O conhecimento da Psicopedagogia ajuda o professor a compreender a maneira como o indivíduo aprende, as condições necessárias para aprender, o que aprende e o que permite que ele realmente aprenda. Ela permite que o professor tenha o conhecimento para investigar a natureza das finalidades da educação numa determinada sociedade, bem como os meios apropriados para a formação dos indivíduos, tendo em vista a sua preparação para as tarefas da vida social. Portanto, a Psicopedagogia é uma componente indispensável na condução do processo de ensino-aprendizagem, porque permite ao professor desenvolver a dimensão teórica ou explicativa, prática e tecnológica do processo de ensino-aprendizagem.

Exercício

1. Em grupos, usando a técnica Pensar – Partilhar – Apresentar, explique de que forma o conhecimento da Psicopedagogia contribuirá para o exercício da sua profissão.

Assista à Videoaula