Módulo 4 | Estratégias Metodológicas na Aprendizagem

Aula 4.5Meios de ensino-aprendizagem

Figura 10: Alunos manipulando recursos didácticos

Reflexão Inicial 18

Nesta imagem os alunos estão numa situação de aprendizagem, na qual estão a manipular objectos que se podem considerar meios de ensino-aprendizagem.

Na sua opinião, porque consideraria importante os meios no processo de ensino- aprendizagem?

Apoie-se na técnica do “círculo duplo” para apresentar e discutir a sua opinião.

Depois do trabalho feito aos pares, presume-se que tenha chegado à conclusão de que, para que a aprendizagem ocorra, é necessário recorrer a vários materiais devidamente selecionados, de acordo com os objectivos, o conteúdo, a idade dos alunos e as condições em que eles vivem. Aliás, os meios a serem usados não devem constituir novidade para os alunos.

Os meios de ensino-aprendizagem (também denominados recursos didácticos) são elementos que auxiliam na execução do processo de ensino-aprendizagem. São muitíssimo importantes porque aproximam o aluno à realidade, facilitam a percepção e compreensão dos conteúdos e tornam o ensino mais activo e concreto. O ensino sem os meios de ensino-aprendizagem pode ser “cego” e insignificante, principalmente para os alunos das classes iniciais. Assim, encoraja-se aos professores a apostarem no seu uso.

A linguagem didáctica é um elemento fundamental na efectivação do ensino, juntamente com os métodos e técnicas de ensino e recursos didácticos. A linguagem didáctica é o meio de comunicação do professor com o educando. É o veículo utilizado pelo professor para comunicar-se com o educando, a fim de transmitir-lhe mensagens de maneira mais simples, objectiva e directa possível.

Os recursos didácticos são todo e qualquer material físico, do o professor, o aluno, as tecnologias de informação e comunicação, utilizados no contexto de ensino-aprendizagem, a fim de auxiliar o professor na transmissão da sua mensagem para o educando eficientemente realizar a sua aprendizagem. Assim, o recurso didáctico, seja qual for a sua modalidade, é aquele que incentiva, facilita ou possibilita o processo de ensino-aprendizagem. Ele é, no ensino, a ligação entre a palavra e a realidade. O ideal seria que toda a aprendizagem se efectuasse em situação real da vida.

Figura 11: Exemplo de um aluno usando meios de ensino para tornar o ensino mais próximo da realidade

4.5.1 Classificação dos meios de ensino-aprendizagem

Os meios de ensino-aprendizagem são classificados em recursos naturais, pedagógicos, tecnológicos, culturais ou da comunidade, etc. Mas também podem ser classificados em visuais, auditivos e audiovisuais.

Esquema nº 1: Classificação dos meios de auxiliares de ensino-aprendizagem

Fonte: Nerici (1991)

Os recursos da comunidade incluem os homens e mulheres ; suas actividades diárias; formas e instrumentos de produção; culinária; instrumentos musicais; arte; danças das mulheres e dos homens; o papel dos líderes locais; histórias locais; lugares de culto, etc.

Os recursos da comunidade apresentam várias vantagens, tais como: trazer o valor da vida real à aprendizagem que se realiza na escola; reduzir o nível de abstracção; abrir dupla via de comunicação entre a escola e a comunidade; ajudar o aluno a avaliar o que o mundo espera dele e constitui fontes de motivação.

O uso dos recursos didácticos tem por objectivo motivar e despertar o interesse dos alunos; favorecer o desenvolvimento das capacidades de observação; aproximar o aluno à realidade; visualizar ou concretizar os conteúdos de aprendizagem; oferecer informações; permitir a fixação da aprendizagem; ilustrar noções mais abstractas; e desenvolver a experimentação concreta.

4.5.2 Critérios e princípios para a utilização dos meios de ensino-aprendizagem

Para que os meios de ensino-aprendizagem realmente colaborem no sentido de melhorar a aprendizagem, devem ser observados alguns critérios e princípios na sua utilização:

Ao elaborar os meios de ensino-aprendizagem, deve-se ter em conta a sua grandeza, suficiente para melhor observação por parte dos alunos; utilizar em fundo a cor clara de forma a dar-lhes mais brilho e serem atraentes; evitar letras ou números com efeitos que podem dificultar a leitura do texto; utilizar cores fortes (vermelho, azul, verde e preto). Com massalas, por exemplo, pode produzir globos, mas isso depende do contexto em que a escola está inserida. Com caniço pode-se fazer unidades de medição, etc.

4.5.3 Descrição de alguns meios de ensino-aprendizagem

A. Quadro de giz

O quadro preto ou branco (como material básico de ensino) é um meio visual bem conhecido, que bem utilizado torna o trabalho de ensino-aprendizagem eficiente. Caracteriza-se por ser uma peça quadrada ou rectangular que pode ser feita de madeira prensada ou plástico, ou ainda outro material que ofereça condições favoráveis para ser usado como quadro. É usado para efectuar quaisquer registos durante a aula.

Geralmente, encontra-se fixado na parede frontal da sala de aulas, a uma altura que o professor e o aluno possam alcançar sem dificuldades pela vista, assim como pelas mãos. Tem a função de fixar os resultados mais importantes do processo de ensino-aprendizagem. Por exemplo, conclusões encontradas num debate, visualizar ideias através de desenhos, assegurar a correcção da linguagem, mostrar de forma lógica a matéria a explicar, transcrever e resolver exercícios, apresentar esquemas e resumos, registar dados, apresentar graficamente os tópicos complexos e abstractos.

Vantagens do uso do quadro preto ou branco

Para usar-se o quadro é preciso, antes, limpá-lo totalmente; começar a escrever na parte de cima; usar o apagador no sentido vertical, de cima para baixo; não dar totalmente as costas aos alunos, enquanto escreve; escrever um pouco de lado e falar ao mesmo tempo que escreve para manter a atenção dos alunos; escrever de forma legível; usar giz ou marcador a cor para dar ênfase a uma palavra ou a parte de um desenho.

As cores mais adequadas são o vermelho, o amarelo, o azul e o verde. Usar giz ou marcador a cor para mostrar relações ou distinguir a parte de um todo e repartir o quadro em duas ou três partes verticais.

B. Gravuras

As gravuras são ilustrações retiradas de revistas, jornais ou livros. É um material simples e acessível. As gravuras servem para motivar estudos, desenvolver a observação e complementar/enriquecer as explicações. São vantajosas por serem pouco dispendiosas, pois os jornais e as revistas estão cada vez mais ricos em gravuras. Os próprios alunos podem colaborar na obtenção desse material; despertam a atenção do aluno e mantêm o seu interesse por mais tempo; possibilitam um contacto visual do aluno com a realidade.

Durante o seu uso, as gravuras devem ser apresentadas de forma visível para toda a turma; seleccionar gravuras adequadas ao assunto; relacionar as gravuras aos principais conceitos e ideias em foco; cuidar da qualidade e da quantidade de gravuras usadas para cada assunto.

C. Cartazes

Os cartazes não são mais do que uma cartolina ou folha de papel contendo uma ou mais ilustrações e uma mensagem. Podem ser de diversos tamanhos e formatos. A sua função é de comunicar sugestões, recomendações e informações; despertar o interesse por determinado assunto; dar destaque a recomendações, acontecimentos importantes, datas cívicas, etc.

O uso dos cartazes é vantajoso, pois desperta a atenção do aluno; são facilmente confecionados; são de baixo custo; podem ser produzidos pelos alunos, servindo, assim, como factor de desenvolvimento da criatividade e estimulam o trabalho de equipa.

Os cartazes são elaborados da seguinte maneira: preparar um esboço previamente; utilizar fundo de cor clara; evitar letras ou números floreados, pois dificultam a leitura do texto; fazer letras uniformes e do mesmo tamanho- não cortar as palavras; utilizar cores fortes: preto, vermelho, azul e verde; usar o vermelho quando se deseja destacar uma palavra; não escrever, de modo geral, uma palavra usando mais de uma cor; utilizar o menor número de palavras possível, pois isso facilita a leitura; distribuir bem as letras e os espaços e não usar um cartaz que esteja sujo, amassado ou rasgado.

D. Livros

O livro é constituído de folhas impressas e reunidas num volume encadernado ou brochado.

É conveniente que o professor, no princípio do ano, na sua planificação, escolha cuidadosamente o livro a ser utilizado na turma, como auxiliar de estudos dos seus alunos.

Ao adoptar um ou vários livros, não deve haver submissão ao(s) mesmo(s), nem mera repetição, na aula, das suas páginas. Neste caso, seria dispensável a presença do professor.

Não deve haver, também, por parte do professor, aquela atitude tão generalizada e que tanto confunde o aluno, de alheamento ao livro, dando a entender que “tudo o que consta no livro está errado” ou “não é bem assim…” e só a palavra dele, do (professor), está certa.

O livro indicado deve ser convenientemente utilizado, devendo servir de orientador, de auxílio, nas práticas e exercícios. É indispensável a adopção de um bom livro para a orientação dos estudos dos alunos e para as planificações do professor.

Saiba Mais

Aprofunde seus conhecimentos

Resumo do Tema

Num ensino orientado pela assimilação e construção de conhecimentos pelo aluno, os meios de ensino-aprendizagem são indispensáveis, pois permitem aos alunos explorar, testar e verificar ou modificar as suas ideias.

O uso de meios de ensino-aprendizagem é particularmente importante nos primeiros anos do ensino primário, quando, segundo Piaget, os alunos encontram-se numa fase (de operações concretas), em que o pensamento é ligado à situações e objectos concretos e pode ser caracterizado por uma “acção internalizada”.

O uso dos meios de ensino-aprendizagem oferece várias possibilidades e estímulos para o aluno recolher informações para posterior análise. É também uma forma de motivar e chamar a atenção do aluno.

A elaboração ou escolha dos meios de ensino-aprendizagem deve respeitar a idade, o estágio de desenvolvimento mental, as finalidades e o contexto sócio - cultural do aluno.

Reflexão Final 18

  1. Apresente, por escrito, o seu posicionamento, relacionando o trecho com um dos estágios de desenvolvimento cognitivo de Piaget.
  2. Redija uma síntese, explicando a importância das imagens que os livros do Ensino Primário contêm para a aprendizagem dos alunos.
  3. Use a técnica “Caminhada na galeria” para apresentar e discutir os resultados da sua reflexão em 1a) e 1b).
  4. Apresente, por escrito, o seu posicionamento, relacionando o trecho com um dos estágios de desenvolvimento cognitivo de Piaget.
  5. Redija uma síntese, explicando a importância das imagens que os livros do Ensino Primário contêm para a aprendizagem dos alunos.
  6. Use a técnica “Caminhada na galeria” para apresentar e discutir os resultados
  7. da sua reflexão em 1a) e 1b).

Assista à Videoaula