Módulo 5 | A Educação Inclusiva e a Escola Moçambicana

Aula 5.4As técnicas de identificação das NEE na sala de aula

Reflexão Inicial 22

  1. Converse, previamente, com um professor de uma escola primária para saber:
    1. Se ele tem ou não na sua turma um aluno com NEE.
    2. Caso tenha, como conseguiu indentificar? E qual é a tipologia de NEE desse(s) aluno(s)?
    3. Como conseguiu identificar esse(s) aluno(s)?
    4. Caso o professor diga que não tem, pergunte-lhe “como poderia identificar um aluno com NEE se o tivesse na sua turma”.
  2. Partilhe com seu/sua colega, aos pares, sua conversa com tal professor da escola primária.

Imaginamos que deve ter sido bastante interessante a sua conversa com um professor, tal como se recomenda na “reflexão inicial”. Como pode estar a reflectir, para a identificação das NEE na sala de aula é necessário o reconhecimento, pelo professor, do seu papel activo como o primeiro elemento a vivenciar as manifestações comportamentais dos seus alunos perante o processo de aprendizagem. No processo de aprendizagem normal existe um alinhamento entre as diferentes predisposições para aprendizagem (capacidades físicas, psicológicas e biológicas) com as exigências dos conteúdos de aprendizagem.

A harmonia entre todos os factores que influenciam a aprendizagem com o potencial psicológico, físico e biológico constitui mais valia para que o aluno aprenda e atinja o seu potencial máximo de aprendizagem. O desajuste da predisposição que o aluno apresenta e as exigências do conteúdo propicia uma aprendizagem defeituosa ou mesmo uma barreira profunda para a concretização da aprendizagem. Por exemplo: para um indivíduo com deficiência visual, essa NEE limita a aprendizagem das cores.

Assim, a tarefa do professor inicia na tentativa de, sempre que possível, na sala de aula, identificar factores da aula e extra-aula, factores relacionados com o aluno (psicológicos, biológicos e sociais) que estejam a concorrer negativamente para a

aprendizagem dos alunos. A primeira forma para identificar as crianças com NEE é avaliar o rendimento escolar (desempenho), recolhendo as avaliações escritas, os cadernos e verificando a qualidade das actividades, em função das que se pretende atingir. Se o desempenho for considerado abaixo do recomendado, inicia-se o processo de identificação das reais causas que estejam a perturbar a aprendizagem do aluno.

Qualquer suspeita que o professor tiver é importante que comece a programar um processo de observação, registando a frequência e duração e o impacto dos comportamentos observados para a aprendizagem.

Torna-se relevante enfatizar que o relatório Warnock (1978) preconizava já uma abordagem flexível, baseada nas necessidades educativas da criança, com ênfase para o tipo e para o grau de problemas de aprendizagem ao nível psicopedagógico e não ao nível clínico.

Assim, no caso do professor não conseguir identificar a NEE, torna-se necessário o envolvimento da equipa de especialistas, tais como: serviços de saúde, de educação e serviço social, uma maior participação por parte dos pais e da direcção da escola.

Geralmente, os professores conhecem bem cada uma das crianças que têm na sala de aulas e, por conseguinte, são capazes de distinguir entre amostras válidas de comportamentos característicos e incidentes isolados, comportamentos que raramente ocorrem ou quaisquer outras condições temporárias.

Comportamentos que sejam exibidos com frequência, durante um longo período de tempo, são facilmente diferenciados pela maioria dos professores. Uma criança pode ser identificada como apresentando uma dificuldade de aprendizagem normal se:

Para o professor, como elemento chave no processo de aprendizagem, é obrigatório que seja capaz de diferenciar dificuldades normais de aprendizagem e as mais graves que necessitam de cuidados especiais a todos os níveis do processo educativo.

Saiba Mais

Aprofunde seus conhecimentos

Resumo do Tema

Para identificar alunos com NEE na sala de aulas, o professor desempenha um papel relevante, desde a identificação e tomada de atitude visando a integração do aluno com NEE no processo de aprendizagem, até ao correcto acompamento do aluno neste processo. A primeira etapa bastante relevante é avaliação do desempenho pedagógico do aluno, de modo a determinar o nível de alcance das competências pretendidas. A segunda etapa é o levantamento das prováveis causas das dificuldades de aprendizagem, cuja confirmação será através de uma observação diária dos comportamentos, de modo a determinar a frequência e o impacto destes comportamentos no ritmo do aluno no processo de aprendizagem. No caso de o professor não conseguir identificar o real problema, poderá recorrer à terceira alternativa, em que, com a ajuda da escola e dos pais e encarregados de educação, solicitará a intervenção de serviços especializados, cabendo ao professor fornecer informações úteis que serão relevantes para a identificação da NEE.

Reflexão Final 23

  1. Na sua opinião, que instrumentos o professor pode usar no acto de observação na sala de aula para identificar alunos com NEE?
  2. Indique a(s) alternativa(s) que lhe parece(m) ser a(s) mais correcta(s):
    1. O professor é um especialista para identificar as crianças com NEE na sala de aula.
    2. O professor tem a formação psicopedagógica, dai que não é relevante a intervenção de serviços multidisciplinares para auxiliar na identificação de crianças com NEE.
    3. O professor que obedece aos princípios da Educação Inclusiva é aquele que perante uma situação de baixo aproveitamento do aluno pára e questiona- se “O que está a acontecer com o meu aluno para não aprender?”
  3. Use a técnica “Caminhar na galeria” para apresentar e discutir com a turma os resultados da sua reflexão em 1 e 2.

Assista à Videoaula